Tudo o que você precisa saber sobre fundações na engenharia

Em que tipo de solo as sapatas são indicadas?
Em que tipo de solo as sapatas são indicadas?
24 de junho de 2022
Tendências da engenharia para 2022
Tendências da engenharia para 2022
1 de agosto de 2022

Tudo o que você precisa saber sobre fundações na engenharia

Tudo o que você precisa saber sobre fundações na engenharia

Tudo o que você precisa saber sobre fundações na engenharia

Conhecer sobre as fundações e todo o seu processo de execução é fundamental para o bom andamento das obras de construção civil. 

Como um dos elementos mais importantes dos empreendimentos, elas são responsáveis por suportar com segurança as cargas da estrutura e transmiti-las ao solo.

Desse modo, é necessário fazer uma avaliação prévia de toda a região e fazer a elaboração de projetos de fundação para conhecer a resistência adequada para sustentar os esforços que devem ser específicos para cada tipo de solo.

Dentre os principais pontos destacados, separamos os principais que você precisa saber sobre fundações: topografia do terreno, sondagem do solo, dados sobre construções vizinhas, dados da estrutura e, então, definir os tipos de fundação.

Tudo o que você precisa saber sobre fundações na engenharia

Topografia – Um dos pontos fundamentais que você precisa saber sobre as fundações está nos processos anteriores a sua execução. Por isso, é muito importante fazer uma análise e conhecer toda a topografia da região onde a obra será executada.

Basicamente, a topografia é o estudo do terreno que identifica os pontos de relevo notáveis e os acidentes geográficos do local. 

Com esse estudo previamente realizado, é possível evitar futuros erros e a necessidade de executar retrabalhos. Ambos os problemas podem causar problemas de prejuízo e economia para a construção civil.

Assim, para realizar essa análise deve ser elaborado um projeto de topografia. Esse documento vai constar todas as informações e características do local. Ou seja, serão definidas as demarcações dos limites do terreno, identifica-se as irregularidades e junto a isso são demarcadas as diferenças de altitudes de um ponto para o outro.

Além disso, vale destacar também que o estudo da topografia pode ser feito durante o processo da obra e na escolha das fundações

Nesse caso específico, em obras de grande porte, o acompanhamento deve ser feito antes do início da execução da construção e durante o trabalho. Assim, é de extrema importância identificar os pequenos deslocamentos angulares e lineares de uma construção.

Sondagem de solo – A sondagem do solo consiste em outro ponto fundamental para as fundações e está diretamente ligado ao planejamento da obra. Esta técnica consiste no processo de reconhecimento e caracterização do terreno, sendo a maneira de como conhecer as características do terreno, extraindo informações importantes que auxiliam no desenvolvimento da obra.

Assim, é possível obter outras informações cruciais para a obra, como identificação das diferentes camadas do solo, classificação de cada camada, o nível do lençol freático e a capacidade de carga ou resistência do solo em várias profundidades.

Nesse sentido, vale destacar que a sondagem do solo é um requisito importantíssimo para a execução das fundações. Dificilmente profissionais experientes e qualificados não exigirão esta análise durante a elaboração de um projeto de fundação. Ou seja, essa parte é fundamental e deve ser feita também em conjunto com o estudo topográfico do terreno.

As investigações para saber exatamente as condições do solo é muito importante também para evitar que apareçam na obra e em construções do entorno: rachaduras nas paredes, afundamento de calçadas, e até situações mais graves, como quedas de muros e crateras nas ruas. 

Além disso, dependendo do resultado da sondagem do solo, muitas vezes o projeto de construção pode ser inviabilizado, fazendo com que se economize ao procurar terrenos mais favoráveis.

Dados construções vizinhas – Para a execução das fundações não é apenas fundamental conhecer o próprio terreno e a estrutura que será construída, mas como também o entorno da obra. 

Nesse momento, deve-se fazer a observação sobre quais tipos de edificações estão nos arredores da nova edificação, levando sempre em consideração as possíveis consequências e vibrações provocadas pela nova obra.

O tipo de estrutura e das fundações vizinhas que devem ser analisados: existência de subsolo, possíveis consequências de escavações e vibrações provocadas pela nova obra e danos já existentes.

Além disso, é importante considerar também as manifestações patológicas devido a construções vizinhas. 

Dentre elas, as principais que podem ocorrer os principais fatores que causaram o surgimento de problemas são: a adequação ambiental, os impactos gerados pelo canteiro de obras, execução de grandes escavações, aplicação de sobrecargas nas proximidades, sobreposição de bulbos de tensão, rebaixamento de nível do lençol freático e vibração causada por estaqueamento. 

Já as manifestações patológicas preponderantes podem ser resumidas em três grupos: fissuras, umidade e danos nas fundações.

Dados da estrutura – Além das estruturas vizinhas, é necessário avaliar o tipo de construção que será executada. Assim, deve-se levar em conta as ações como trações e compressões as quais a fundação deverá suportar.

Nesse ponto é necessário estudar a arquitetura ,o tipo e  o uso da estrutura, como por exemplo, se consistem em um edifício, torre ou ponte, se há subsolo e ainda as cargas atuantes. Desse modo serão descartadas as fundações que oferecem limitações de emprego para a obra em que se está realizando a análise.

Tipos de fundações – Após as análises realizadas e bem aplicadas, é possível fazer a decisão de qual tipo de fundação será executada. Essa escolha também depende de diversas características da obra, por isso é importante realizar o estudo prévio. Existem dois tipos de fundações principais: fundações rasas e fundações profundas.

As fundações rasas têm como característica principal a transmissão de carga para o solo pela base. A profundidade de escavação geralmente é igual ou inferior a 3 metros e é feita, em geral, de forma manual. Em geral, são utilizadas em casas com até dois pavimentos e em solos com boa resistência. Por esse motivo, necessitam de menos materiais e acabam tendo um melhor custo-benefício.

Deste modelo, os principais tipos são sapata isolada, sapata corrida, bloco de fundação, radier. Saiba um pouco mais sobre elas:

Sapata isolada: É indicada para terrenos resistentes e com solo firme. A base em planta pode apresentar variedade de formas: quadrada, retangular, circular ou poligonal.

Sapata corrida: A sapata corrida é uma fundação direta e superficial, comumente utilizada na construção de muros, paredes de reservatórios e casas com vãos pequenos. Caracteriza-se por uma estrutura contínua feita de concreto armado abaixo das paredes. Na sapata corrida, o peso é transferido pelas colunas e distribuído para o solo.

Bloco de fundação:  A sua função na obra é absorver a carga e distribuí-la sem a necessidade de armadura, já que são dimensionados de forma que as tensões de tração sejam resistidas pelo concreto.

Radier: é uma fundação de grandes dimensões em planta que recebe pelo menos 70% das cargas de um edifício. Configura-se como uma placa de concreto armado ou protendido localizado abaixo da construção, em contato direto com o solo.

As fundações profundas podem transmitir a carga através de das regiões: base e/ou superfície lateral. Em geral, são utilizadas em obras em que os solos superficiais são pouco competentes ou quando se têm carregamentos horizontais muito grandes quando comparados ao carregamento vertical.

Os principais tipos são:

Estaca – Usada para conseguir a resistência necessária, cravando até alcançar um solo mais competente. Por esse motivo, em geral, as estacas têm mais de 3 metros de profundidade. Elas podem ser feitas de madeira, concreto pré-moldado, aço e outros materiais.

Tubulões – São elementos cilíndricos revestidos com aço ou concreto. Podem ser usados em dois tipos de construção: a céu aberto ou sob ar comprimido.

Caixões – São conhecidos por ter forma prismática, ser concretados na superfície e instalados por escavação interna. Assim como os tubulões, podem ter ou não a base alargada e ser executados com ar comprimido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Falar no WhatsApp
Precisa de ajuda?