Saiba como argamassas estruturais e grautes podem permitir o preenchimento de vazios de concretagem

Governo publica resolução que permite dispensa de alvarás de construção
15 de fevereiro de 2021
Reciclagem de concreto e os seus impactos na construção civil
2 de março de 2021

Saiba como argamassas estruturais e grautes podem permitir o preenchimento de vazios de concretagem

Você sabe o que são vazios de concretagem? Estas manifestações patológicas podem prejudicar de diversas formas o seu projeto e por isso é muito importante conhecer bem as razões do seu surgimento e como é possível resolver este problema. Por isso, hoje a União Fundações vai destacar como você pode se precaver dos vazios de concretagem e, principalmente, como argamassas estruturais e grautes podem ajudar a obra nesse sentido.

Primeiramente, vamos entender o que são vazios de concretagem. Como falamos anteriormente, eles são manifestações patológicas que podem surgir quando não é realizado o preenchimento adequado de elementos de concreto. Ou seja, quando pilares, vigas, lajes ou paredes não recebem a dosagem correta de concretagem, elas podem surgir e acarretar problemas para o seu empreendimento.

Existem muitos problemas resultantes dos vazios de concretagem. Dentre eles, é possível que eles sejam apenas de ordem estética, o que facilita a resolução do problema e também não afeta estruturalmente o projeto de construção civil. Nesse sentido, quando ocorrem superficialmente, demanda-se uso extra de materiais para revestimento e consertando o defeito. 

No entanto, eles também podem acabar comprometendo a capacidade de suporte e a durabilidade da estrutura. Além disso, em casos mais graves, essas falhas podem levar à segregação do concreto e expor as armaduras, levando à corrosão e ao colapso da estrutura.

Para evitar que ocorram vazios de concretagem é necessário um controle de dosagem rigoroso. Além disso, também é preciso realizar um planejamento de aplicação de concretagem adequado, pensando bem com antecedência todas as necessidades de cada material e de cada elemento de concreto.

Por último, deve-se ter em mente que as boas práticas na hora do lançamento e do adensamento são chaves para evitar os vazios no concreto armado. Outra solução possível é realizar a adição de aditivos plásticos e, desse modo, você pode tornar o concreto mais fluido. Por último, tenha preferência pelo concreto autoadensável podem contribuir para evitar falhas, especialmente em concretagens mais difíceis.

Outra dica é ficar atento às situações em que a concretagem pode ficar mais suscetível ao aparecimento de bicheiras e, para isto, deve-se ter atenção redobrada. Isto ocorre, principalmente, em locais que precisam que o lançamento do concreto aconteça a alturas superiores a 3 m ou em áreas com juntas frias e pontos de descontinuidades das fôrmas.

Além disso, a etapa de vibração do concreto deve ser feita com bastante cuidado e atenção, pois a  vibração da mistura pode levar à segregação de componentes. 

E caso ocorra dela ser insuficiente, a homogeneidade do concreto e sua distribuição sobre as fôrmas ficam comprometidas. As bicheiras (vazios de concretagem) também podem ocorrer quando os moldes não são estanques e há o escorrimento da nata de cimento por frestas, gerando acúmulo de brita na parte superior.

Saiba como tratar os vazios de concretagem

Falamos no início que os vazios de concretagem podem causar apenas problemas estéticos, mas é preciso ficar atento para que eles não se tornem também problemas estruturais graves. Por isso é necessário realizar o seu tratamento, garantindo a segurança do empreendimento. Isto porque além de implicar em redução de seção de uma peça, a falta de concreto pode desproteger do aço. Para realizar qualquer tipo de conserto ou tratamento é preciso, como falamos anteriormente, o planejamento correto.

Desse modo, você deverá definir a melhor estratégia conforme a gravidade dele. Os vazios são considerados pequenos quando apresentam cavidades dispersas de até 3 cm de profundidade ou largura e caso ultrapasse este tamanho, deve-se escolher um tratamento mais sofisticado. Em muitos casos é possível que o comprometimento do elemento seja tão grave que a única saída viável é a reconstrução total da peça.

No entanto, na maioria dos casos, é possível fazer os reparos apenas com a aplicação de argamassa estrutural e grautes de consistência fluída. Isto somente é possível quando não há exposição das ferragens. Mesmo assim, é fundamental que o responsável pelo tratamento trabalhe para garantir que a parte refeita possua características semelhantes às do concreto original. Além disso, é preciso que a aderência entre o material novo e o existente seja apropriada.

Assim, a indústria disponibiliza, além da grautes, uma gama enorme de argamassas estruturais à base de cimento, polímeros e fibras, que possam servir para o tratamento e os reparos. Entretanto, o profissional responsável deve estar atento a especificação de cada produto, pois eles variam conforme as necessidades de intervenção.

Cada solução deve ser especificada em função das características e da profundidade da correção e, nesse sentido, deve-se cuidar se o produto é indicado para intervenções superficiais, enquanto outros são específicos para reparos mais profundos, com profundidade superior a 5 cm.

Evidentemente que os profissionais que realizarão os tratamentos dos vazios de concretagem devem ser qualificados e com experiência para fazer da melhor maneira possível, mesmo que o processo seja simples. Isto ocorre porque existem alguns cuidados que devem ser seguidos, como a conservação do substrato de aplicação, por exemplo, que deve estar limpo, íntegro e seco.

Além disso, é recomendável delimitar a área de reparo e remover o material deteriorado até atingir o concreto íntegro, utilizando apenas moldes estanques. Quando ocorrem problemas graves, em casos extremos e de vazios de grande extensão deve-se tomar outros tipos de cuidados.

Um deles é para que seja realizada uma verificação de resistência e se existe a necessidade de realizar algum reforço estrutural, já que é possível que o elemento de concreto prejudicado apresente resistência inferior à prevista no projeto da construção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Falar no WhatsApp
Precisa de ajuda?