Estacas-prancha‌ ‌metálicas‌ ‌usadas‌ ‌em‌ ‌contenções‌ ‌de‌ ‌obras‌ ‌subterrâneas‌ ‌

4 vantagens da empilhadeira elétrica
19 de maio de 2020
A importância da fundação para monumentos históricos
13 de agosto de 2020

Estacas-prancha‌ ‌metálicas‌ ‌usadas‌ ‌em‌ ‌contenções‌ ‌de‌ ‌obras‌ ‌subterrâneas‌ ‌

As estruturas de contenção são, antes de mais nada, partes fundamentais das projetos de construção civil. Apoiadas em fundações rasas ou profundas, têm como propósito de conter a erosão do solo, dar estabilidade à obra e isolar o terreno. São capazes de suportar o peso da terra que está no nível mais elevado da construção e, assim, evitam o deslizamento da terra. Existem diversas técnicas para realizar a contenção de uma obra.

Vamos falar hoje sobre como as estacas-prancha metálicas são usadas em contenções de obras subterrâneas. Confira!

Primeiramente, podemos dizer que as estacas-prancha metálicas não são novidades em obras de contenção. Elas são utilizadas desse modo desde o início do século passado. Porém, com o avanço da tecnologia, evoluíram cada vez mais, chegando a um estágio extremamente avançado de retenção do terreno.

Atualmente podemos encontrar as estacas-prancha metálicas construção de barragens, diques, trincheiras e terminais portuários, por exemplo. Além disso, são amplamente utilizadas na contenção para passagens de nível em vias e rodovias e também em valas de rede de água e esgoto. Nesse sentido, a versatilidade desta forma de proteção também pode ser utilizada para a construção de estacionamentos subterrâneos e em subsolos de edifícios.

Apresenta fácil fabricação e adaptação em diversos tipos de terreno e projetos. Também destaca-se pelos preços relativamente baixos, ficam prontos mais rapidamente e a operação para a instalação, que necessita de profissionais qualificados, é bastante rápida. Por isso, podemos afirmar que é um sistema de contenção bastante escolhido também pelo seu custo-benefício.

Para realizar o dimensionamento das estacas-prancha metálicas se faz necessário a realização de sondagem do terreno. Assim, pode-se compreender o tipo de solo e o tamanho mais adequado. Quanto mais profunda for a escavação, maior será o comprimento das estacas. Isto se deve à necessidade de compensar os esforços ativos e passivos.

Tipos de estacas-prancha metálicas

Como dissemos anteriormente, ao longo dos anos a tecnologia utilizada para a fabricação das estacas-prancha metálicas evoluiu bastante. E não foram somente elas, já que as demandas também começaram a se modificar e exigir certas modificações para cada especificidade das obras. Assim, vamos apontar os tipos mais utilizados dentro do mercado, que podem variar conforme cada fabricante.

  • Perfil U: é formada por diversas junções com diferentes características geométricas. Desse modo, consegue se adequar conforme cada projeto específico e se apresentar como uma escolha bastante técnica e econômica. Como é uma estaca com maior espessura, resiste bastante à corrosão, principalmente pelo fato de que a espessura é maior onde a ação corrosiva acontece com maior frequência. Além da adaptabilidade, alta resistência, também demonstra fácil fixação de acessórios e tirantes, mesmo debaixo d’água;
  • Perfil Z: Apresenta boa resistência à corrosão, sendo que a parte mais espessa fica localizada nas extremidades. Isto se deve ao fato de sua forma ser contínua e os conectores estarem localizados simetricamente em cada lado do eixo neutro. Também possui como característica maior inércia, o que reduz a deflexão e maior largura, dando assim maior desempenho de instalação.
  • Plana: Serve para formar estruturas cilíndricas fechadas e, assim, reter o aterro do solo. São mais recomendadas para obras em que as camadas rochosas ficam próximas ao nível do solo ou onde a ancoragem apresenta grande dificuldade.
  • Combinadas:  Consistem na combinação de diferentes seções das estacas-prancha metálicas para criar sistemas com grande resistência à flexão. Exigem maior planejamento conforme cada projeto, já que esta união demanda mais tempo e organização.

Obras subterrâneas

Antes de mais nada, é sempre importante destacar que a utilização de qualquer equipamento deve ser feito através de empresas de confiança e qualidade. Quanto às estacas-pranchas metálicas, às normas de regulamentação podem seguidas através da NBR 8800 (2005), que é compatível com o EUROCODE 3-5 (2007). As normas tratam de questões como: espessura, dimensão, massa, além de critérios para os conectores, operação e segurança, dentre outros.

Assim, para que seja feita a inserção das estacas-prancha metálicas como contenção em obras subterrâneas e é preciso avaliar as características do solo e a restrições do projeto. Um dos métodos mais comuns para isto é através do impacto por bate-estacas. Porém, ele é mais lento e gera alto ruído e estas características precisam ser levadas em consideração, principalmente devido a localização da obra e o tempo de entrega.

Ultimamente é cada vez mais comum realizar a cravação por vibração, utilizando martelos hidráulico acoplados em escavadeiras hidráulicas ou suspensos por guindastes. Ao contrário do método anterior, ela é mais eficiente e gera menos ruído, tornado-se ideal para áreas urbanas. Além disso, em obras temporárias, ela permite que as estacas-prancha metálicas sejam reutilizadas mais vezes.

Mesmo sendo bastante prática e de fácil aplicação, é preciso estar atento ao manuseio e estoque de peças, que têm que estar dispostas de maneira que sejam facilmente içadas, evitando danos ao material. Também é preciso constantemente checar a verticalidade da estaca.

Amplamente popular nas obras de contenção, as estacas-prancha metálicas se destacam pela aplicação em tempos curtos, mobilizam equipamentos mais econômicos e também causam menos impactos ambientais na utilização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *