Confiança da construção civil tem alta pelo quarto mês consecutivo

Como garantir eficiência hídrica aos canteiros de obras?
25 de setembro de 2020
Saiba tudo sobre a construção da Ilha Palm Jumeirah, em Dubai
15 de outubro de 2020

Confiança da construção civil tem alta pelo quarto mês consecutivo

A pandemia do novo coronavírus causou um impacto devastador, não só na saúde da população brasileira, mas como também no setor econômico. É verdade que o país já vinha, anteriormente, sofrendo com uma crise econômica recorrente e isto teve forte consequência em diversos setores. Uma das esperanças para a recuperação financeira do Brasil teve uma notícia positiva esta semana. A animadora informação que a União Fundações traz é de que a confiança da construção civil teve alta pelo quarto mês consecutivo.

De acordo com a apuração mensal, a Sondagem Indústria da Construção, realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Índice de Confiança do Empresário da Construção (ICEI-Construção) teve alta de 7,7 pontos, em agosto. Com isso, alcançou o nível de 54 pontos, indicando a alta da confiança da construção civil. Este foi o quarto mês consecutivo que ocorre esta elevação no setor da construção civil, mesmo após as altas quedas que ocorreram no início do ano, principalmente em março e abril, quando foi o início da pandemia da Covid-19.

Além disso, outra melhora foi impulsionada pelo retorno do nível de utilização da capacidade operacional (UCO) ao patamar que estava antes da crise sanitária. E, também, por estar cada vez mais firme o caminho da recuperação do índice de produção e do número de empregados. A CNI destacou que a UCO chegou a 60% no mês anterior, o que significa 2 pontos percentuais a mais do que no mesmo período no ano passado, por exemplo.

Este aumento das expectativas dos empresários está atrelado ao crescimento dos níveis de atividade e empregabilidade na indústria, mesmo com toda a problemática causada pela pandemia. Os números, revelam a melhora significativa em comparação aos meses anteriores. Um exemplo é o índice de evolução do nível, que registrou 51,4 pontos em agosto, o que significa um aumento de 3,3 pontos, sendo o maior índice desde junho de 2011. Já o índice de evolução do número de empregados aumentou 2,7 pontos, para 49,5 pontos, e está praticamente sobre a linha divisória dos 50 pontos, que é a margem indicativa de melhoria.

Expectativas para a confiança da construção civil

A confiança da construção civil e o otimismo dos empresários também reflete na possível alta de índices de recuperação econômica. O índice de intenção de investimento, por sua vez, cresceu 4,7 pontos em agosto, alcançando 39,5 pontos, resultado acima da média histórica de 34,1 pontos. Além disso, o índice se aproxima dos níveis pré-pandemia, quando registrava valores acima de 40 pontos.

Conforme os dados coletados no setor da construção civil, a utilização da capacidade instalada (UCI) chegou a 71% no mês anterior, o que coloca a atividade industrial brasileira no patamar anterior à recessão econômica. Para termos um exemplo, a UCI superou o mesmo índice do mês em 2019 e é a maior para o mês de agosto desde a crise iniciada em 2014, quando registrou pico de 72%. Outro caso é o nível de evolução produtiva alcançou 58,7 pontos em agosto. O indicador varia de 0 a 100, e valores acima de 50 pontos indicam expectativa de crescimento.

Todos estes fatores positivos indicam uma expectativa de aumento para a confiança da construção civil. Os dados do Índice de Confiança do Empresário da Construção tendem a ser mais positivos para os próximos seis meses. Isto se deve ao fato de que o Índice de Expectativas aumentou 7 pontos entre julho e agosto e o de condições atuais cresceu 9,1 pontos. Nesse sentido, a pesquisa ainda aponta alta nos índices de expectativas do nível de atividade e de novos empreendimentos e serviços. Eles alcançaram 54,3 pontos e 53,2 pontos, respectivamente, com avanço de 4,2 e 5,2.

Todos estes números sugerem que a indústria da construção civil vai ser um dos carros-chefes para a retomada da economia. A pesquisa Sondagem Indústria da Construção, divulgada pela União Fundações, foi realizada com 454 empresas, sendo 161 pequenas, 200 médias e 93 de grande porte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *